Normalmente fala-se muito sobre o que comer e o que não comer na gestação! E isso realmente é importante! Mas é preciso lembrar que cuidar da nossa mente, de nossas emoções e sentimentos, também faz parte de uma VIDA SAUDÁVEL!

A ciência há muitos anos vem comprovando o quanto as emoções da gestante influenciam a saúde física e emocional do bebê que está sendo gerado, com repercussões por toda vida! 

Todos nós passamos por lutas! Eu vivi vários traumas e em alguns momentos, principalmente quando perdi minha filha, achei que jamais conseguiria me sentir feliz e saudável outra vez!

Porém, fortalecida por minha Fé em Deus e com uma vontade enorme de reencontrar o sentido da minha vida, aos poucos eu CONSEGUI!

As cicatrizes? Estão aqui! Mas nunca me impediram de prosseguir, REALIZADA, RESTAURADA e FELIZ! Eu tenho a certeza que tudo que vivi contribuiu para a construção da mulher, esposa, mãe e profissional que sou hoje!

Você está sofrendo?! Acha que jamais conseguirá se reerguer? CREIA: Isso é possível! Isso é necessário para sua saúde e para a saúde dos filhos que você tem e dos que ainda terá! Deseje ser feliz outra vez! Busque! Levante-se!

Estamos juntos nessa caminhada! Que o Senhor te cubra de bênçãos!

Com amor, Andreia Friques ♥

  1. Fizeste-a chorar… muito.
    Ela chorou quando descobriu que estava grávida. Ela chorou quando te deu à luz. Ela chorou quando te segurou pela primeira vez. Ela chorou de felicidade. Ela chorou de medo.

    2. Ela queria aquele último pedaço de bolo.
    Mas, quando te viu com aqueles olhos, lambendo a boca, não tinha como comê-lo. Ela sabia que ficaria muito mais feliz vendo a tua barriguinha cheia, em vez da dela.

    3. Doeu.
    Doeu quando puxaste o cabelo dela; doeu quando a agarraste com aquelas unhas afiadas, impossíveis de cortar; doeu quando mordeste o peito dela enquanto mamavas… .

    4. Ela sempre teve medo.
    Ela ficou acordada até mais tarde para ter certeza de que tinhas chegado em casa são e salvo, e acordou cedo para te levar para a escola, por exemplo.

    5. Ela sabe que não é perfeita.
    Ela é a maior crítica dela mesma.

    6. Ela observou-te a dormir.

    7. Ela carregou-te por muito mais do que nove meses.
    Você precisava. Então ela te carregou. Ela aprendeu a te segurar enquanto fazia limpeza, enquanto comia, até mesmo enquanto dormia.

    8. O teu choro doía-lhe no coração.
    Não havia som mais triste que seu choro, imagem mais horrível que lágrimas escorrendo do seu rosto perfeito. Ela fez tudo o que era possível para que você não chorasse e, quando não podia impedir suas lágrimas, o coração dela se partia em um milhão de pedacinhos.

    9. Ela colocou-te em primeiro lugar.
    Ela ficou sem comer, sem tomar banho e sem dormir. Ela sempre colocou suas necessidades na frente das dela. Ela passava o dia inteiro cuidando de você e, no fim do dia, não sobrava energia para ela mesma. Mas, no dia seguinte, ela acordava e fazia tudo de novo.

    10. Ela faria TUDO de novo.

    Fonte: Sábias Palavras (trechos) .

Com amor,

Andreia Friques.

Essa é uma dúvida frequente nas minhas redes sociais e consultório! Sei que muita gente vai ficar desapontada, mas tenho um compromisso comigo mesma: usar meu trabalho para LEVAR SAÚDE AO MAIOR NÚMERO DE CRIANÇAS POSSÍVEL.

 

Leiam a lista de ingredientes de um biscoito tipo “Maizena” de uma marca conhecida:

Farinha de trigo enriquecida com ferro e ácido fólico (trigo branco), açúcar, gordura vegetal hidrogenada, açúcar invertido, amido, soro de leite, sal, fermentos químicos bicarbonato de amônio, bicarbonato de sódio e piro fosfato ácido de sódio, emulsificante lecitina de soja, aromatizante (não informa qual) e “melhorador” de farinha metabissulfito de sódio. Contém Glúten. Aromatizado artificialmente.

Resumindo: Trigo Branco + Açúcar + Gordura Hidrogenada + Aditivos Químicos

 

Pode ser gostoso, não ter recheio, ter cara de inocente mas, na minha opinião, esses são alguns daqueles produtos que não deveriam fazer parte do dia a dia das nossas crianças! Infelizmente, porém, têm sido introduzidos precocemente na alimentação dos pequenos, às vezes, ainda bebês!

Precisamos acostumar nossos filhos a comerem COMIDA DE VERDADE!

 

Com amor,

Andreia Friques

Nosso dia chegou e com ele nossas expectativas, lembranças e planos… Como mãe, tenho exatamente as mesmas preocupações que vocês, muitas dúvidas e algumas certezas. Carrego no peito a dor de já ter perdido um filho, as alegrias da convivência com meus outros filhos e a emoção diária de exercer o papel mais importante para o qual fui designada.
Além disso, recebo diariamente no consultório gestantes e mães, muitas vezes extremamente ansiosas por diversas situações e até sentindo-se culpadas por algo que venha acontecendo com sua família. Seja porque a criança está em uma fase de não querer comer nada ou comendo demais, ali estão elas, preocupadas, por vezes, desesperadas.
Por isso hoje, além de desejar às minhas leitoras, seguidoras, pacientes, clientes e amigas, tudo de bom, gostaria de propor a cada uma de vocês alguns desafios para o esse dia das mães (não precisa fazer dieta nesse dia gente… só nesse, hein!).

  • Coloque seu olhar no que você tem e não no que perdeu.
  • Se estiver sofrendo, acredite você será capaz de vencer e sairá dessa mais fortalecida.
  • Não deixe que as lembranças do passado nem as incertezas do futuro dominem sua mente a ponto de levá-la à depressão ou à ansiedade exagerada.
  • Lembre-se que os desafios fazem parte da vida, podemos ultrapassá-los sem perder o equilíbrio.
  • Aproveite ao máximo, viva cada dia como se fosse o último.
  • Agradeça a Deus em qualquer circunstância.
  • Que no dia das mães e sempre, possamos exercer nosso papel da maneira mais plena possível, mas, sobre tudo, que sejamos felizes com nossos filhos.

Um beijão a todas as mães e parabéns!

 

Sem título-12

No início de 2013, dois anos e meio depois de ter vivido os dias mais difíceis da minha vida, eu estava irradiante! A sensação que eu tinha é que meu tempo de sofrimento havia passado, agora, com meu filho mais novo no peito, cheia de planos profissionais, minha vida parecia recomeçar. No início de janeiro, sentada na varanda da minha casa disse ao meu marido:

2013 vai ser um ano maravilhoso para nós!

Alguns dias depois, sentada na mesma varanda, amamentando meu pequeno Davi, recebi um telefonema inesperado, e com ele uma das notícas mais tristes que uma filha pode receber. Meu pai falecera num trágico acidente. O ano que para mim seria incrível, também foi marcado por uma grande dor. E que dor!

Mas entre todas as coisas que tenho aprendido na vida, a principal é exatamente CONHECER A But then we discovered Lyle Reimer and fell in love with his astonishing yet cheeky, over-the-top beauty and fashion inspired posts that push boundaries, cultivate creativity and keep us laughing all the way to the MAC counter!Check out where is justin bieber and Selena Gomez catching a movie in a brand new video posted on Instagram. VIDA! E ela é assim! Ganhos e perdas, chegadas e partidas, frustrações e realizações.  Depois que perdi minha filha comecei a fazer um exercício mental buscando colocar o meu olhar sempre no que tenho e não no que perdi. E foi assim que consegui voltar a sorrir.

Finalizo o ano contabilizando lágrimas de dor, mas também muitas lágrimas de VITÓRIA. Inaugurei meu consultório, lancei meu livro, me tornei conhecida pelo meu trabalho, fui aprovada no mestrado, conheci pessoas incríveis! Continuei amamentando meu bebê, comemorei seu 1º aninho, tenho uma família linda e feliz!

Por isso, mesmo que a saudade aperte meu coração e que às vezes as lágrimas teimem em cair, olho para o amor que carrego no peito e PROSSIGO!

Que venha 2014!

Escolha ser feliz!

5

 

 

Aqui estão algumas fotos favoritas da minha terceira gestação. O primeiro bebê, perdi, em um aborto espontâneo. O segundo tinha seis meses quando o terceiro, este aí na minha barriga, entrou para nossa história, a Marina. Quando descobri que estava grávida, que alegria! Logo no início, com sete semanas, que susto: – O bebê que você está esperando é muito malformado, inviável, disse o médico, você pode até fazer um aborto, completou.

Tanta coisa aconteceu de lá para cá… já são 5 anos passados e ainda hoje muitas pessoas me perguntam:  – Como foi a gravidez de Marina? Como você viveu? Fez enxoval, tudo “normalmente”?

A gravidez não foi fácil, passei mal nos primeiros meses, tive notícias difíceis, fui submetida a exames dolorosos. Dormia e acordava todos os casino online dias sem saber o que o “futuro” nos reservava. Em todos os momentos do meu dia, e das noites mal-dormidas, me declarava àquele bebê, para os médicos “malformado”, para mim, “o meu bebê amado”. E assim passaram-se nove meses de muito amor e luta, de muitas provações e fé, sem perder a esperança. O enxoval, roupinhas e sapatinhos eram os mais lindos. O quarto foi preparado, as fotos tiradas, tudo como eu sonhei, com o mesmo amor de mãe.

Esse post não estava no meu “script”, não sei porque o escrevi. Talvez você, leitor, saiba! Então, termino dizendo o primeiro parágrafo que se passou em minha mente quando me sentei para escrevê-lo:

Gerar um filho, em qualquer circunstância NÃO É UMA SENTENÇA DE MORTE! Gerar um filho é, e sempre será, uma sentença de vida, uma bênção! Cada filho que temos é uma missão. Eu gerei a Marina com o mesmo amor que gerei meus outros filhos. Gerei aquele bebê “inviável” para que ele vivesse, para que fizesse parte da nossa família e contribuísse para o bem da humanidade.  A vida de Marina foi gerada em mim e eu me sinto extremamente feliz e honrada por isso!  Ainda hoje colho os frutos desse amor!

DSC_5045

DSC_4964

DSC_4816

 

http://www.logoslivrariavirtual.com.br/QUANDO-O-SOL-ME-TOCOU/