Algum tempo atrás recebi uma criança autista em meu consultório que fazia inúmeras terapias, tomava vários medicamentos e alimentava-se exclusivamente, já há alguns anos, de: Arroz + Chips de Batata + Guaraná + Leite (quem lida com crianças autistas sabe que a #SeletividadeAlimentar está presente em muitas delas). Foram quase 2 horas de consulta, conversamos profundamente sobre a Nutrição, traçamos metas, fizemos pequenos combinados!

Algum tempo depois os pais voltaram e me disseram: – Doutora, conseguimos algumas mudanças (meus pacientes sabem: eu comemoro cada pequena mudança como uma grande conquista!), estamos até vendo alguns resultados. Mas estamos um pouco confusos porque fomos em um profissional que cuida dela há alguns anos, e ele nos disse que NÃO HÁ EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS que a Nutrição melhore os sintomas do autismo e que essa dieta talvez seja um sacrifício grande demais para ela! (OBS.: eu ainda não havia passado nenhuma dieta, apenas sugerido pequenas mudanças que, como disse, a família estava conseguindo fazer).

Eu respondi: – Papai e mamãe: Eu não estou preocupada apenas com o autismo do seu filho, estou preocupada com a SAÚDE DELE E TODAS AS EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS PROVAM QUE UMA NUTRIÇÃO ADEQUADA É FUNDAMENTAL PARA A SAÚDE DO “SER HUMANO” ! 

Embora existam SIM, inúmeros estudos sobre vários aspectos da Nutrição e Autismo (acessem pubmed.com digitem: #Autism and #Nutrition) a SOCIEDADE PRECISA COMPREENDER que, antes de ser autista o indivíduo no Spectro é um SER HUMANO e até onde a ciência já evoluiu POUCAS COISAS SÃO TÃO IMPORTANTES PARA A SAÚDE HUMANA QUANTO UMA NUTRIÇÃO ADEQUADA!

Até quando a sociedade e até mesmo alguns profissionais da saúde vão negar essa realidade?! Finalizo voltando ao título do post: “O que a #Nutrição pode fazer por um #Autista❓” E eu respondo: substitua essa pergunta por: “O que a #Nutrição pode fazer pelo #SerHumano

AOS QUE ME PERGUNTAM sobre qual “linha” de dieta eu sigo, respondo: trabalho com nutrição personalizada, individualizada e acredito que cada ser humano deve ser enxergado como único, inclusive, sob o ponto de vista nutricional!

Com amor, Andreia Friques ♥

Umas das coisas mais difíceis no processo da Educação Alimentar de nossos filhos é conseguir mantê-los longe do açúcar, guloseimas…

Sou mãe como vocês, recebi e recebo muitos olhares do tipo: “Mas é só uma balinha”, “só um dedinho lambuzado de sorvete”…

Crianças pequenas NÃO DEVEM TER CONTATO COM AÇÚCAR, especialmente nos primeiros 2 anos de vida!

Isso porque já está mais que comprovado cientificamente que os primeiros mil dias de vida (da gestação aos 2 anos) são cruciais para a saúde do indivíduo com repercussões por TODA A VIDA!

Algumas razões para não acostumar nossos pequenos ao AÇÚCAR:
🍚 Açúcar branco é caloria vazia, não tem nenhum nutriente importante para o organismo.
🍚 Quando em excesso, aumenta muito a chance de obesidade, diabetes, câncer e várias outras doenças.
🍚 Entre 1 ano e meio e 3 anos o apetite dos pequenos diminui e eles entram numa fase chamada “mini-adolescência”. Muitos “param de comer” ou tornam-se seletivos. Aqueles acostumados a comer açúcar, certamente, enfrentarão muito mais dificuldades nessa fase e a família sofrerá mais.
🍚 Quanto mais oferecermos os alimentos adoçados artificialmente, mais o bebê vai preferir esse tipo de alimento e mais difícil será introduzir outros sabores.
🍚 O açúcar mascara o sabor original do alimento e o bebê tende a recusá-lo quando oferecido da forma natural.

Lembre-se:
👶 O bebê está conhecendo tudo. Ele vai aprender o que VOCÊ ensinar! A necessidade de comer alimentos doces é do ADULTO. Ele não sabe que um suco tem que ter açúcar, não sabe que uma fruta pode parecer “melhor” com achocolatado.
🍌O carboidrato que ele precisa para ter energia já está presente nas frutas e na comidinha em quantidades suficientes. Se adicionamos açúcar, começamos a vida dele com excessos, e, no futuro, poderemos nos arrepender! .
📝Seu bebê é uma página em branco! Cuidado com o que você escreverá nos primeiros capítulos dessa história!

Com amor, Andreia Friques ♥

O coco é uma fruta muito saudável, um #SuperAlimento bem acessível em nosso país! Ele é uma excelente opção de lanche para a criançada e pode ser utilizado para preparar leite, farinha e muitas receitas incríveis (Detalhes e receitas no instagem em #CocoByAndreiaFriques).

A partir dos 06 meses de idade, a polpa do coco verde (bem molinha) pode ser oferecida na alimentação complementar (lembrando que cada criança deve ser acompanhada e orientada de forma individual nessa fase). Outros detalhes sobre Alimentação Complementar em #ACByAndreiaFriques .

Para os maiores, a fruta pode ser oferecida de várias maneiras (verde, seco), pedacinhos, pedações, tirinhas, desidratado no forno, junto com outras frutas, com os #Berries fica uma delícia.

Na minha casa a gente costuma congelar o coco descascado e sempre tem algum no freezer para uma “emergência”. 

#Coco #CocoLovers #Lanche #Snack#SnackSaudável #Enjoy

Como seria bom se o peito fosse transparente, com os risquinhos indicando quantos mililitros de leite já foram tomados! Nas primeiras semanas é difícil não se perguntar se o bebê está obtendo todo o leite de que precisa.

A dúvida fica maior ainda se ele quer mamar o tempo todo ou se não se acalma depois. Depois do primeiro ou segundo dia de vida, em que o bebê está mais sonolento, é normal ele parecer que está sempre com fome. Isso porque ele provavelmente está sempre com fome, já que o leite materno é digerido bem rápido. A maioria dos recém-nascidos quer mamar entre 8 e 15 vezes ao dia depois do quarto dia de vida, e no fim da 1ª semana esse número costuma se estabilizar em entre 6 a 8 mamadas (ou seja, mais ou menos de 3 em 3horas).

Entre outros, alguns sinais de que ele está mamando direitinho:

1⃣ O bebê mama no mínimo de seis a oito vezes por dia nas primeiras três semanas.
2⃣ As mamas esvaziam e ficam mais macias depois que o bebê suga.
3⃣ Após a mamada, ele se mostra relaxado e satisfeito.
4⃣ O número de fraldas molhadas começa a aumentar a partir do quinto dia. *Num período de 24 horas, o bebê deve ter molhado entre seis e oito fraldas. (Nas fraldas descartáveis, para saber se ela está bem “xixizada”, compare o peso da fralda usada ao de uma fralda seca. Ela deve estar mais pesada.) A urina do bebê deve ser clara e sem cheiro.
5⃣ Você percebe que o bebê engole o leite, quando o observa mamando.
6⃣ O bebê faz cocô amarelo-mostarda ou mais escuro. *A partir do quinto dia depois do nascimento, as fezes devem começar a clarear. Fonte: Baby Center Brasil

Leia mais aqui no instagram #AmamentacaoByAndreiaFriques 

By @nutricionistamaternoinfantil

As melhores opções são as versões naturais, encontradas em supermercados ou utilizando-os como “Start” para receitas caseiras.

Muitas crianças adoram o iogurte natural ou coalhada puros mesmo, mas você pode variar a forma de oferecê-lo, batendo com frutas, geleia de frutas caseiras, e para os maiores de 02 anos, um fio de *mel, etc.

Sempre que for comprar um iogurte, mesmo o natural ou qualquer outro produto industrializado, leia a LISTA DE INGREDIENTES no rótulo. Quanto menos nomes, mais natural ele tende a ser e nomes que lembram produtos de farmácia, geralmente são aditivos químicos. Detalhes no instagram @nutricionistamaternoinfantil com a hashtag #RótulosByAndreiaFriques .

Resumindo, prefira as opções, naturais, menos coloridas e, quando for escolher, atente-se aos ingredientes no rótulo.

LEMBRE-SE:

– Iogurtes e derivados de leite não devem ser introduzidos antes de 01 ano. Alérgicos e intolerantes devem ser avaliados individualmente.
– Mel não pode ser oferecido para menores de 01 ano, eu geralmente indico para maiores de 02 anos, porque até essa idade não oferecemos açúcar ao bebê.

Há muitos post’s com dicas de lanches, receitas e sobre alimentação infantil de acordo com as faixas etárias no IG. Vocês estão convidados a “passearem” por eles, muitas das dúvidas que surgem já estão respondidas no decorrer dos post’s. Ok?

Nutrição para Gestantes, Crianças e Adolescentes @nutricionistamaternoinfantil

Uma noite inteira: QUANDO?

Os recém-nascidos dormem entre 17 e 18 horas por dia nas primeiras semanas de vida e 15 horas por volta do 3º mês. Ainda assim, eles quase nunca dormem mais que 3 ou 4 horas por vez, seja durante o dia ou à noite.

E isso quer dizer que você também não terá muitas horas de sono seguidas. No decorrer da noite, terá que levantar para amamentar e trocar o bebê, ao longo do dia, além dessas tarefas, vai brincar com ele.

Embora alguns bebês consigam dormir a noite inteira já aos 2 meses, muitos não chegam a esse marco até os 5 ou 6 meses de idade e, às vezes, até bem mais tarde. Para que seu filho durma a noite toda, é preciso estabelecer uma boa rotina desde bem cedo. Dicas:

– Comece a ensinar a diferença entre dia e noite.

– Alguns bebês são mais notívagos ou seja são mais ativos à noite (algo que você pode até ter percebido durante a gravidez) e estarão com toda a energia do mundo bem quando você se prepara para pegar no sono. Nos primeiros dias, não há muito o que se fazer quanto a isso.

Mas, quando o bebê tiver por volta de 2 semanas, você pode começar a fazê-lo distinguir o dia da noite.

✔️Algumas dicas para durante o dia:

– Mantenha a casa bem iluminada;

– Não se preocupe em evitar os barulhos da rotina doméstica, como o telefone, as conversas ou o aspirador de pó, mesmo que ele esteja dormindo;

– Se ele costuma dormir durante todas mamadas, acorde-o, procure conversar e cantar;

– Brinque o máximo que puder.

✔️Algumas dicas para durante a noite:

– Tente não fazer gracinhas quando for ao quarto dele para amamentá-lo;

– Acenda o mínimo de luzes e faça pouco barulho.

* Texto adaptado da fonte: BabyCenter Brasil

Essas são algumas dicas, mas é importante lembrar que cada criança e cada família tem uma realidade diferente!

Seu bebê ainda não dorme à noite toda? Calma, essa fase vai passar!

Com amor, Andreia Friques ♥