ptenes

Blog

Uma das perguntas que mais ouço no consultório é: Quais alimentos soltam e prendem o intestino?  Bem, como sempre digo a vocês, DEPENDE! Cada organismo é um e responde diferentemente aos alimentos, para algumas pessoas suco de laranja é laxante, mas para outras, constipante. Mas, para facilitar a vida de minhas mamães, crianças e gestantes, fiz essa listinha abaixo, com os alimentos que, de maneira geral, atuam como laxantes ou constipantes. Tome nota, cole na porta da geladeira, deixe suas dúvidas e sugestões para próximos post´s nos comentários.
  • Alimentos constipantes:
Frutas: banana maçã, banana prata, goiaba, jabuticaba (sem casca), melão, pêra (sem casca), caju, maçã (sem casca), suco de limão (de preferência sem açúcar). Legumes e verduras: Batata inglesa, cará, chuchu, cenoura (cozida), beterraba (cozida), batata baroa, fécula de batata. Cereais, farinhas: Arroz, polvilho, amido de milho, farinha de mandioca, trigo refinado. Outros: Pães, biscoitos de sal, biscoitinhos de Polvilho.
  •  Alimentos laxantes:
Frutas: mamão, laranja, água de coco, kiwi, manga, pêra com casca, maçã com casca, abacaxi, uva, abacate, manga, ameixa seca (de preferência cozida ou de molho por algumas horas em água filtrada, pode consumir a fruta picadinha e a água, aos poucos). Legumes e verduras: couve, rúcula, espinafre, taioba, cenoura e beterraba cruas, abóbora, broto de feijão, broto de alfafa. Laticínios: iogurtes, leites fermentados. Cereais integrais e sementes: arroz, aveia(o farelo é melhor), milho, trigo, sementes de chia, quinoa real em flocos. Óleos:  azeite, óleo de coco.

Um abraço! Espero vocês aqui no blog, na fan-page e no instagram!!! 

  19650368_ad5e5c496e_o

A gestação é uma das fases mais lindas e marcantes de nossas vidas. A descoberta da gravidez, as primeiras mudanças físicas, a primeira vez que ouvimos o coraçãozinho do bebê ao ultrasson. Tudo é tão marcante, tão intenso e tão rápido. Pensamos e cuidamos de todos os detalhes para quando nosso bebê nascer e aos poucos, começamos a fazer planos para o futuro dele. O que algumas famílias se esquecem, porém, é que tão importante quanto dar um nome ao bebê é cuidar de sua alimentação desde os primeiros dias intra-útero. O corpo da mãe precisa ter as condições nutricionais necessárias para um bom desenvolvimento da criança. Para isso é preciso alimentar-se adequadamente e estar com todos os nutrientes em equilíbrio. Recebo diariamente no consultório gestantes cheias de dúvidas em relação à alimentação, preocupadas em fazer o melhor para gerar um filho lindo e saudável. Claro que elas também querem ficar lindas e saudáveis em toda a gravidez e voltar ao corpo sonhado o quanto antes. Saiba que não há uma formula mágica de “alimentação para gestante”. Mas existem muitas dicas preciosas que podem ajudá-la nessa caminhada. Lembrando que cada mamãe tem um organismo e só em uma consulta nutricional detalhada podemos prescrever uma dieta específica. Também é preciso avaliar individualmente a necessidade ou não de suplementação. O que vale para a Camila nem sempre vale para Amanda. Vamos às dicas:
  •  Alimente-se, no máximo, de 3 em 3 horas;
  • Leve pequenas marmitinhas com seu lanche diário para o trabalho;
  • Beba água, mesmo sem vontade, em breve seu organismo se acostumará e sentirá essa necessidade. Uma boa hidratação ajuda a prevenir a prisão de ventre e infecções no trato urinário;
  • Varie sempre o cardápio para ter mais chances de ingerir todos os tipos de nutrientes que você e o bebê precisam;
  • Coma frutas, verduras, cereais integrais e coloque em alguma refeição do dia oleaginosas (nozes e castanhas, etc);
  • Pingue gotas de limão na sua comida, isso aumenta a absorção de Ferro;
  • De sobremesa: frutas cítricas;

Substitua na sua casa:

  •  O arroz branco pelo integral (comece por você até alcançar sua família);
  • Os sucos de caixinha por naturais;
  • O sal refinado por Sal Marinho integral;
  • O açúcar refinado pelo mascavo (que também deve ser consumido com moderação, porém, é mais nutritivo e tem menos aditivos químicos);

Evite:

  • Altas doses de cafeína (cafés, chás com cafeína, chocolate);
  • Alimentos que podem conter salmonela (ovos crus ou comidas que contenham ovos crus ou parcialmente cozidos, como maionese caseira, mousse, fios de ovos);
  • A ingestão de açúcar e alimentos gordurosos;
 Não consuma:
  •  Refrigerantes, bebidas alcoólicas;
  • Alimentos diet, light e adoçantes precisam ser consumidos com orientação de um nutricionista ou médico;
  • Não fume nem permaneça próximo a alguém que esteja fumando;
 Ainda: Prepare-se para amamentar seu bebê! Posso dizer como mãe de três filhos: ESSA É UMA DAS EXPERIÊNCIAS QUE MAIS VALE A PENA NA VIDA! IMG_0878  

As festas de fim de ano estão chegando e sempre surgem dúvidas em como cuidar da alimentação das crianças nesse período. Para fecharmos o ano com chave de ouro, aqui vão algumas dicas práticas para facilitar a vida da família e prevenir problemas que podem estragar a festa. Anota aí:
  • Cuidado com os excessos. Tente alimentar a criança com a quantidade de comida que ela ingere habitualmente.
  • Cuidado com os "frios" , maioneses e alimentos crus. Fuja daqueles que ficam expostos por muito tempo nas mesas. Prefira comidas assadas ou cozidas.
  • Mantenha um padrão de higiene rigoroso, não relaxe com o hábito da lavagem das mãos só porque a criança está de férias.
  • Muito cuidado com alimentos comprados na rua. Se estiver na praia, prefira os picolés de fruta e, se possível, leve os lanches da crianças prontos de casa.
  • Fique atento ao padrão de higiene dos restaurantes e dos locais onde encomendam ceias de Natal ou Ano Novo. Evite locais desconhecidos.
  • Estimule a criança a beber muita água, suco de frutas naturais e comer frutas. Esse é um hábito que deve nos acompanhar por toda a vida, inclusive nas férias.
  • Ensine seu filho que mesmo nessa época devemos cuidar de nossa saúde se queremos  aproveitar ao máximo as férias.
  • Sobretudo, seja o exemplo, suas atitudes valem mais que suas palavras.
Boas festas!!!  

Ontem postei umas dicas práticas do que não fazer com a alimentação das crianças nas férias. Agora vamos ao que fazer (ou pelo menos tentar):
  • Tenha frutas picadas e guardadas em potes ao alcance das crianças. Aproveite as frutas da estação.
  • Sanduíches naturais, acompanhados de suco são uma ótima pedida de lanche para receber os amiguinhos. Prefira pão integral e recheie com alface, tomate, pasta de soja ou tahine, queijo branco e frango desfiado. Se quiser, corte o sanduíche com cortadores de biscoito no formato de animais ou flores.
  • Incluir a criança na preparação do prato desperta o interesse pelos alimentos. Preparem juntos uma pizza com massa integral, usando queijos magros, tomates, brincando com os ingredientes que vão compor o recheio.
  • Que tal fazerem "chup-chup", picolés, juntos com frutas e leites? Ficam uma delícia e pode ser muito divertido.
  •  A granola é uma opção interessante de “belisco” para substituir biscoitos tipo chips. Se a vontade de comer um salgadinho for grande, faça pipoca caseira, mas fuja dos “extras” que alguns teimam em acrescentar, como queijo ralado, etc.
  • Prefira oferecer cookies e rosquinhas integrais. Existem no mercado diversos sabores, como aveia, mel, cacau e frutas vermelhas.
  • Na praia, prefira sorvetes e picolés de frutas, água de coco, milho cozido. Muito cuidado com os molhos e esteja atento às condições de higiene do local de venda de alimentos.
  • Muita água! Carregue uma garrafinha sempre na bolsa, assim você evita que em uma “urgência” precise comprar o primeiro “refresco” disponível.
  • Agende um piquenique. Leve frutas secas, salada de frutas, sanduichinhos integrais, sucos e chás gelados. Brinquem de bola, pique, andem de bicicleta. Ensine ao seu filho que ser saudável é MUITO legal.
  •  Tenha bom senso.Não proíba, mas imponha limites. Deixe o final de semana para que as crianças possam escolher o cardápio.
  • Seja o exemplo. Você será sempre o referencial do seu filho!
Boas férias e CONTINUEM ACESSANDO O BLOG! Vou postar umas receitas muito bacanas de lanches e comidinhas gostosas e práticas para vocês!   faixa férias

Está chegando a época do ano em que toda a família começa a pensar: O que fazer com as crianças de férias? Como vocês, também estou aqui me programando, tentando me "reinventar" com os pequenos em casa! Então, decidi compartilhar um pouco do que penso e tento praticar no nosso dia a dia! Falando sobre alimentação, parece um consenso que com a quebra da rotina está “tudo liberado”. Nesta época os pequenos costumam dormir e acordar mais tarde, têm mais acesso a alimentos diferentes durante os passeios e querem abusar das guloseimas ao longo do dia em casa. Algumas das regras que valem para o ano todo podem ser quebradas em nome da praticidade e da diversão, mas isso não precisa significar abrir mão dos hábitos de uma alimentação saudável. Veja algumas dicas que poderão ajudar no dia a dia das férias:
  1.  Por mais que pareça chato, seja firme: a flexibilização da rotina alimentar do seu filho não deve virar bagunça! A criança precisa entender que se trata de um período atípico em que exceções serão permitidas um pouco mais frequentemente.
  2.  Atenção redobrada com os que têm até os dois anos! Para esses, nada de mudanças. Eles precisam comer em horários regulares e não devem ser expostos a alimentos inadequados como açúcar, sucos artificiais, chocolates, frituras, fast-food´s.
  3.  Cuidado com a despensa! Não faça estoque de biscoitos e guloseimas em casa. Quanto maior a oferta e o acesso a esse tipo de alimento, mais seus filhos o desejarão. Se a sua geladeira estiver repleta de doces e refrigerantes, sempre que a porta for aberta despertará um desejo imenso em quem a abriu. Se um adulto já tem dificuldades em resistir a essas tentações, imagine uma criança. Isso é covardia!
  4. Atenção aos exageros! Quando sair da rotina, controle pelo menos a quantidade. Se oferecer batata frita, opte pela porção menor. Se for um milkshake, fique com o copo de 300ml, se cachorro quente, fuja daquele excesso de opções de recheio.
  5.  Cuidados com o transporte dos alimentos. Essa é uma época muito quente, o cuidado com a contaminação dos alimentos deve ser redobrado. Quando a criança ainda está na fase de beber o leite na mamadeira, prefira levar o pó do leite em um potinho. Não é recomendado que o iogurte ou outras bebidas lácteas fiquem sem refrigeração por mais de três horas. Ao levar uma fruta, se possível,leve-a inteira.
  6.  Muito cuidado com comidas "de rua". Alimentos expostos em carrinhos e até estufas, podem facilmente ser contaminados. Se for comer uma pizza, prefira aquela assada na hora e não as de balcão. Cuidado com as barraquinhas e carrinhos abertos na rua. Não ofereça esses alimentos às crianças!
  7.  Não pule o café da manhã! Comece o dia bem. Um pãozinho com requeijão e uma vitamina de leite batida com fruta seria uma ótima ideia. Se acordar mais tarde, próximo ao almoço, pode abrir mão do pão, mas é importante que tome pelo menos a vitamina.
Então... O que oferecer? Leia o meu post de amanhã... Espero vocês e seus comentários! flickr-7651703666-hd

Atendo muitas mães de bebês no consultório, a maioria tem sempre a mesma pergunta:  - O que tenho que colocar na papinha para que ela fique completa, com todos os grupos alimentares? Elaborei um resumo para as mamães de bebês que já passaram dos seis meses e estão na alimentação complementar, anota aí!

Cada papa deve ser composta por, pelo menos, um item de cada grupo:

 Carnes: Bovinas, aves, peixes (pode ser substituída, de vez em quando, por gema de ovo cozida)  Verduras: Almeirão, agrião, espinafre, couve, brócolis, escarola, repolho, rúcula, acelga, chicória  Legumes: Cenoura, abobrinha, beterraba, berinjela, jiló, couve-flor, nabo, chuchu, quiabo, vagem, aipo  Tubérculos: Batata, cará, inhame, abóbora, mandioca, mandioquinha  Cereais:  Arroz, aveia, fubá, massas  Leguminosas:  Feijão, soja, lentilha, grão de bico, ervilhas

Observações:

 Quantidade: varia de acordo com o peso, a idade, a aceitação, entre outros fatores. Sugiro que, inicialmente, guiem-se por aqueles potinhos de papinha industrializada, que trazem, em média para a primeira etapa, 120g. Outra dica é colocar no prato a medida da circunferência de um pires pequeno, de café. Rapidinho vocês começarão a perceber quando ele começar a pedir mais.  Temperos: Use cebola, salsinha e alho. De vez em quando, cebolinha, tomilho, salsão. Vá observando a aceitação do bebê. Tendo em vista que por volta dos 12 meses ele deve estar apto a alimentar-se com a comida da família, sugiro que por volta dos 10 meses, comecem a introdução do sal, de preferência o sal marinho integral e em pequenas quantidades (uma "pitadinha").  Consistência: Amasse os alimentos com o garfo, mas deixe alguns, como a batata que é molinha, picadinha para a criança já se habituar com alimentos mais sólidos. Nada de liquidificador!  Depois de pronta, adicione um fio de azeite extra-virgem, acidez menor que 0,5% ao pratinho do bebê e, de vez em quando, pingue gotinhas de limão para aumentar a absorção do Ferro e variar o sabor!  Vamos continuar falando sobre esse assunto em outros post´s, afinal, PAPINHA É COISA SÉRIA! Enquanto isso, aguardo os comentários, dúvidas e sugestões de vocês, abraços! bebe c papinha
   
Fique bem informada!
Assine nossa lista gratuita

A gente se encontra por aqui e pela vida, sempre!

Newsletter

Informe seu email para receber informações gratuitamente.